skip to Main Content
Foto: Gastão Guedes

Começa hoje 9ª Feira Tecnológica do Centro Paula Souza

A 9ª edição da Feira Tecnológica do Centro Paula Souza (Feteps), no Expo Barra Funda, na Capital, começa na manhã desta quarta-feira. Até as 13 horas da próxima sexta-feira, dia 23, estarão expostos mais de 200 projetos desenvolvidos por estudantes das Escolas Técnicas (Etecs) e Faculdades de Tecnologia (Fatecs) estaduais, representantes de outros dois Estados (Amazonas e Bahia) e cinco países (Argentina, Chile, México, Peru e Polônia). Os vencedores serão anunciados no último dia do evento.

A feira é uma oportunidade para conhecer a criatividade desses alunos na apresentação de soluções inovadoras nas áreas de tecnologia, acessibilidade, saúde, economia e reúso da água. Em muitos desses projetos é possível observar a preocupação dos estudantes com a sustentabilidade e com a criação de modelos eficazes de baixo custo, acessíveis economicamente a um número maior de pessoas.

Para quem planeja participar dos processos seletivos para o primeiro semestre de 2016, é a chance de acompanhar os resultados dos trabalhos feitos nas salas de aulas e laboratórios das Etecs e Fatecs. As inscrições para o Vestibular e para o Vestibulinho estão abertas.

Redes Sociais

Quem não puder comparecer à 9ª Feteps vai poder acompanhar o que acontecer por lá por meio das redes sociais da instituição.

Pelo Snapchat (paulasouzasnap) será possível conferir os projetos expostos pelos alunos em tempo real, além das atrações do evento. A rede permite publicar vídeos e fotos com duração de até 10 segundos e tem 24 horas para visualização. Os melhores momentos da feira também serão publicados no Facebook, Instagram e Twitter.

A premiação dos projetos, que será realizada no dia 23, poderá ser vista on-line pelo Periscope (@paulasouzasp), um aplicativo que permite a transmissão de vídeo ao vivo, com armazenamento para replay por um dia.

Conheça alguns dos projetos que estarão na feira:

PRÓTESE DE MÃO ROBÓTICA IMPRESSA EM 3D
O objetivo do projeto é ampliar o acesso dos amputados de comunidades carentes a próteses ortopédicas de baixo custo para o paciente e para a saúde pública. As próteses e as peças da impressora 3D são construídas por esse processo, permitindo uma rápida e barata substituição dos membros artificiais (por desgaste ou crescimento) e a replicação da impressora. Custo estimado: 1/3 dos produtos existentes no mercado.

PROJETOR HOLOGRÁFICO
O projetor desenvolvido pelos estudantes é capaz de fazer algo que outros equipamentos não fazem: projetar uma imagem de quatro faces, permitindo que um objeto seja visto por completo. O projetor é usado em eventos e também como recurso didático. Os alunos conseguiram criar um equipamento com custo muito inferior ao daqueles que estão disponíveis no mercado.

CADEIRA INTELIGENTE ARTICULADA
Com um mecanismo de articulação desenvolvido em uma base de esteira rolante, a Cadeira Inteligente Articulada propõe dar ao usuário com necessidades especiais condições de acessar lugares considerados difíceis, sem a ajuda de terceiros. Mesmo em terrenos irregulares, degraus e rampas, mantém o assento na horizontal. Também permite ao cadeirante levantar-se e ficar em pé.

TÉCNICAS E DISPOSITIVOS PARA UM BANHO INTELIGENTE
O verbo economizar ficou martelando a cabeça dos três estudantes que criaram o projeto Técnicas e Dispositivos para um Banho Inteligente. Eles queriam soluções simples e baratas e conseguiram chegar a um sistema que economiza água e energia elétrica no momento do banho. São adaptações no chuveiro, no piso e no box que visam economizar pelo menos 20% de energia e 25% de água.

TRANSDUTOR DE ENERGIA SONORA PARA ENERGIA ELÉTRICA
O equipamento capaz de converter energia sonora em eletricidade. Um microfone capta os sons e um circuito eletrônico os transforma em tensão elétrica armazenada em baterias. Os alunos autores do projeto Transdutor de Energia Sonora para Energia Elétrica conseguiram gerar eletricidade suficiente para carregar a bateria de um telefone celular e acreditam que o aparelho pode ser adaptado para locais muito maiores e gerar muito mais energia.

BICICLETÁRIO AUTOMATIZADO
A ideia é armazenar e devolver bicicletas de forma totalmente automática, tendo a possibilidade de integração com bilhetes de transporte público. A proposta é similar ao que existe no Japão, com a diferença de que lá, o parque de estacionamento é subterrâneo. Para utilizar o equipamento, o usuário deposita a bicicleta na entrada do bicicletário e utiliza um cartão feito por um sistema de identificação por Rádio Frequência – pode, por exemplo, ser um Bilhete Único, caso haja parceria de integração com o poder público. Feita a identificação, a porta do estacionamento se abre e uma espécie de garra captura a bike, conduzindo-a para uma vaga. Para retirar o veículo, basta passar novamente o cartão no leitor e o mecanismo traz a bicicleta para o proprietário.

360º PARKING
O 360º Parking é um estacionamento rotativo vertical. Lembra uma roda-gigante para estacionar carros. É um projeto já em uso em países da Europa, que permite aumentar o número de vagas pela otimização e verticalização do espaço.

MAXVISION – ESPELHO RETROVISOR PARA CICLISTAS
O projeto é uma armação que pode ser colocada na cabeça do ciclista ou no capacete. O Maxvision possui dois espelhos retangulares que ampliam as possibilidades de visão e reduzem as chances de acidentes. A ideia dos alunos surgiu do fato de a cidade de Garça, onde fica a Fatec, não ter ciclovias ou ciclofaixas e de a segurança para pedalar ser um assunto recorrente. 

Serviço:
9ª Feira Tecnológica do Centro Paula Souza (Feteps)
Projetos dos alunos das Etecs e das Fatecs
21 e 22 de outubro – das 10 às 21 horas
23 de outubro – das 10 às 13 horas

Local: Expo Barra Funda
Rua Tagipuru,1.001 – Metrô Barra Funda
Entrada franca

Saiba mais:
Feteps: www.feteps.com.br
Fatecs: www.vestibularfatec.com.br
Etecs: www.vestibulinhoetec.com.br

Back To Top